Arícia Motta e Rodrigo Ximenes dão dicas valiosas para uma vida mais saudável

 
A nutricionista Arícia Motta, a primeira especialista em nutrição esportiva do Estado, esteve na tarde de ontem, 24/9, no TRT, para falar sobre obesidade. Ela participou, junto com o médico Rodrigo Ximenes, servidor do Tribunal e especialista em gastroenterologia, de mesa-redonda que foi transmitida ao vivo pela intranet.
 
O evento, realizado no auditório do Tribunal Pleno, faz parte da programação da 2ª Semana do Coração, promovida pelo Núcleo de Saúde e pela Divisão de Qualidade de Vida no Trabalho. A 2ª Semana do Coração foi aberta pelo juiz Platon Teixeira Neto, presidente da Amatra18. “Acho louvável a iniciativa que traz orientações sobre a saúde física e mental”, ressaltou o magistrado.
 
O médico Rodrigo Ximenes foi o primeiro a falar. Ele apresentou o Projeto Amigos do Coração implementado visando a prevenção de doenças cardiovasculares por meio da prática de hábitos saudáveis. O Núcleo de Saúde fez um levantamento, no ano passado, do índice de massa corporal (IMC)Ve da circunferência abdominal de 205 magistrados e servidores. O resultado foi que 42% das pessoas analisadas apresentaram peso acima do recomendado. Segundo o especialista, a circunferência abdominal é fator de risco para doenças do coração e a pesquisa revelou que 34% dos servidores e magistrados analisados apresentaram a circunferência do abdome alterada. “É preciso fazer algo para conscientizar o servidor para que tenha uma alimentação saudável e pratique exercícios físicos”, disse o médico.
 
Rodrigo explicou que a obesidade é uma doença crônica e de intervenção contínua, atingindo desde crianças até idosos, sendo um fator de risco para várias doenças. Hoje, um bilhão de pessoas no mundo são obesas e dessas 300 mil já apresentam doenças advindas do excesso de peso. O especialista informa, ainda, que no Brasil quase a metade da população tem sobrepeso (48,8%) e 15,2% já são obesos.
Nutrição
 
A especialista Arícia Motta trouxe uma importante contribuição para o debate e mostrou uma série de vídeos que falam de bons e maus hábitos alimentares. Também alertou para problemas como a bulimia e a anorexia. “Quero deixar aqui uma reflexão sobre os dois distúrbios que têm crescido entre meninas adolescentes e muita gente tem ganhado dinheiro com isso”, destacou. Ela sugeriu a leitura do livro “A ditadura da beleza e a revolução das mulheres”, de Augusto Cury.
 
Durante a exposição, a nutricionista comentou 10 dicas para se ter saúde física e mental. De uma forma lúdica, bem-humorada e simples Arícia Motta conseguiu passar o recado aos magistrados e servidores presentes. As dicas suscitaram várias perguntas que foram respondidas pela nutricionista e pelo médico Rodrigo Ximenes durante a mesa-redonda.
 
Dicas da Arícia:
 
1 – Seja feliz – a nutricionista disse que é preciso desfrutar das amizades e das relações que podem trazer benefícios.
 
2 – Ingira menos açúcar – Até os dois anos de idade a criança forma os hábitos alimentares e, por isso, quanto mais tardiamente ela comer doce mais benefícios terá. É importante também oferecer alimentos cada vez mais variados para que a criança cresça sabendo que aquilo faz parte da vida dela. “A gente deve deixar a criança brincar com o alimento porque quanto mais ela brinca mais vai ter disposição para experimentar aquele alimento”, ressaltou.
 
3 – Controle seu peso – é preciso evitar alimentos com alta densidade energética. Se não fizermos uma seleção adequada daquilo que ingerimos não vamos ter controle de peso. A nutricionista explica que não adianta apenas exercitar-se. Segundo ela, ingerimos 100 calorias por minuto enquanto conseguimos gastar apenas 10 calorias no mesmo espaço de tempo.
 
4 – Reduza o consumo de açúcar – segundo a especialista, não existe alimento proibido. O mal é o comportamento diante do alimento. Você em que avaliar se está comendo algo por necessidade, desejo ou compulsão. Se for por desejo não vai ser prejudicial. O problema é quando tentamos compensar com o alimento alguma dor emocional. Arícia Motta revela que o excesso de açúcar é o grande vilão no aumento da gordura visceral (abdome). A dica é trocar o consumo de açúcar por fibras que fornecem energia de uma forma gradual, além de evitar diabetes, cáries e gengivites.
 
5 – Conheça os alimentos que você consome – a dica é ler os rótulos dos alimentos para eliminar os itens que contêm maior teor de gordura trans, sódio e açúcar.
 
6 – Evite intervalos superiores a três horas entre as refeições – ficar longos períodos sem comer aumenta a chance de desencadear uma série de problemas como a compulsão.
 
7 – Exercite-se diariamente – de acordo com a OMS, é necessário 30 minutos diários de atividade física durante os sete dias da semana. Nesse sentido, a mudança de alguns hábitos pode ajudar como preferir as escadas e evitar os elevadores.
 
8 – Beba água pura – aumentar o consumo de água pode trazer benefícios para a pele e diminui os resíduos do organismo, além da compulsão por alimentos. “Muitas pessoas confundem a sede com a fome e às vezes a água sacia”, assinala a nutricionista.
 
9 – Consuma cálcio adequadamente – segundo Arícia, leite é a melhor fonte de cálcio e magnésio e vários outros nutrientes. Ele deve ser consumido por todas as pessoas que não tenham intolerância à lactose. “O consumo de cálcio é responsável pela menor circunferência abdominal e menor peso corporal ao longo da vida”, ressaltou.
 
10 – Alimente-se corretamente – a nutricionista ensina que 50% do que comemos durante o dia devem ser frutas e verduras, que protegem as pessoas do ganho de peso e das doenças crônicas. Já 25% dos alimentos devem ser compostos por grãos (pães, macarrão, arroz) de preferência integrais. Os outros 25% ficam para as proteínas (carne, peixe, ovos e feijão, que é rico em proteínas e ferro). Não podemos esquecer dos laticínios que devem ser ingeridos diariamente, de três a quatro porções.
 
A desembargadora Elza Silveira ouviu atentamente as dicas anunciadas pela nutricionista e deixou um recado para os servidores: “Gostaria que todo mundo tomasse conta da sua saúde. Eu me descuidei e tive diabetes. A gente tem que se amar e o Tribunal tem muito interesse que vocês tenham saúde”, ressaltou a magistrada.
 
 
Fonte: TRT Goiás
Tags: No tags

Leave a Comment